5 SONGS – PLAYLIST DA SEMANA

Depois de um ano que terminou me deixando mal, solitária e profundamente machucada por duas mortes – uma física e uma figurada – de dois grandes amigos, acho que encontrei um novo amigo e tenho uma nova irmã de alma. Assim como quando perdemos um grande amor, precisamos de um novo amor para nos curarmos, na amizade é assim também: precisamos conhecer gente nova e fortalecer laços com quem já mais do que provou que nos é leal.  Mais do que isso: são as duas pessoas com quem eu divido tudo da minha vida, o dia inteiro, todos os dias. Então, meu five songs dessa vez é dedicado à minha nova amizade e à minha irmã… Coincidência ou não, o polaco mais fofo do universo e a outra eu chamo carinhosamente de “polaca”.

1. DAUGHTRY – IS NOT OVER
Um novo amigo pede uma descoberta de um artista que eu não conhecia. E assim como minha nova amizade, essa música foi uma espécie de amor à primeira vista, pela voz forte e marcante de Chris Daughtry, mas em especial pela combinação de voz + melodia + letra. Lembra as minhas “bad trips” do ano passado com tudo o que aconteceu. Dá vontade de chorar: “let’s start over, I’ll try to do it right this time around, it’s not over.” Uma época de recomeços, talvez?

 

2. LIA ICES – LOVE IS WON
Somos nós duas, ela e eu, lutando todos os dias contra as nossas tristezas, nossas frustrações, nossos sonhos que são destruídos e reconstruídos. É a nossa busca diária por nossos objetivos, nossas conversas e nossos planos. Sim, eu faço planos, muitos planos com ela.

 

3. WISIN – ESCÁPATE CONMIGO
E aí eu, que vivia falando pra todo mundo sobre reggaeton, insistindo em ouvir minhas musiquinhas sozinha, mais uma vez fui apresentada a coisas ainda mais novas do que eu andava ouvindo por ele. E ele não deixa barato, porque é impressionante que as músicas das quais eu gosto tem sempre a ver com sentimentos fulminantes, como é a letra dessa música de Wisin, que eu só conheço porque roubei a playlist dele…

 

4. FOO FIGHTERS – THE BEST OF YOU
Se eu pudesse eleger uma música que nos representa, eu e ela, como “eu na vida”, seria essa mesmo. Quando eu ouço, o que vem na minha cabeça é como nós duas temos um certo dedo podre pra se iludir e se decepcionar com pessoas, com situações e constatações. Por outro lado, nós duas temos uma imensa capacidade em nos recuperarmos de todos os trancos que a vida vai nos dando: “I’ve got a another confession, my friend / I’m no fool / I’m getting tired of starting again / Somewhere new / Were you born to resist or be abused? / I swear I’ll never give in / I refuse.” Sim, nos recusamos, não somos obrigadas!

 

5. DISTURBED – THE SOUND OF SILENCE
Essa música tá aqui sim. A última vez que eu tinha ouvido com o coração, eu estava do lado de uma dessas almas que partiram da minha vida. Da alma que ainda vive em um corpo, mais especificamente. E ela só me trouxe lembranças ruins depois disso. De todo o fundo do poço em que me meti, de toda a tristeza que eu senti sozinha, sem poder gritar, descontar meu ódio, minha amargura, sem poder argumentar. Chorei eu com o meu travesseiro. E ele, o novo amigo, me obrigou a ouvi-la algumas vezes. E eu passei a acreditar que algo de muito bom ainda vai acontecer comigo ouvindo justamente esse tune. O som do meu silêncio inclusive, deve ecoar por aí pra escuridão, a minha velha amiga de todas as noites que passo em claro.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s