PENSAR E SENTIR COM MÚSICAS

Satanáries é foda. Eu uso esse pedacinho muito pra desabafar. Hoje saí com um amigo que está se mudando pra outro país. E estávamos falando sobre riscos que temos que correr na vida pra crescermos. Eu corri um risco muito grande. Engraçado, as pessoas cortam relações com a gente mas o mundo dessas pessoas caem no nosso colo. Pra seguir em frente, tentamos sempre nos distrair com outras coisas ou até simplesmente de forçar a dormir mais tempo, pra ele, o tempo, esse bandido, passar mais rápido.

Eu sou o tipo Satanáries. O tipo de pessoa que precisa ir até o fundo de uma história simplesmente porque senão fica difícil de viver pensando onde você errou, em que momento você cometeu o erro que te trouxe para “esse presente”. Porque não existe esse negócio do “e se eu tivesse feito isso, aquilo aconteceria”. Não dá pra saber o que aconteceria porque a escolha foi feita de um jeito específico, envolvendo fatores específicos. Mas eu não consegui ir até o final de duas histórias em um curto espaço de tempo, fui interrompida. E aí começou a tocar no fundo do restaurante uma música que acredito ser do Cazuza mas que foi regravada pela Marina Lima… Fiquei pensando e a conclusão foi estranha. “Quando a gente conversa / Contando casos, besteiras / Tanta coisa em comum / Deixando escapar segredos”… Acho que deu um nó aqui na minha cabeça em alguma coisa que eu tive um tilt. “Deixando escapar segredos”, pareceu que foi pra mim. Ainda estou pensando nas duas situações.

Sem um veredicto final verdadeiro, Satanáries ao menos se permite imaginar as coisas. Eu imagino ouvindo músicas…E tem uma música de um duo que eu piro de chorar, e com ela imagino as melhores coisas do mundo. E as mais luxuriosas também, de um jeito bizarro. E tem pessoas buscando algum tipo de satisfação na dor alheia. Então eu sonho que dou o troco me tornando uma pessoa melhor ainda. A gente sabe que tem cicatrizes que viram feridas abertas pra sempre. E em ambas situações existem feridas abertas. Curiosamente, a música fala sobre vingança, a tradução pro português é mais ou menos assim: “quero que você sinta até os ossos / quero que sinta toda a minha dor / veja todos os demônios que você criou no mundo / eu quero que você viva um dos meus dias / sonhe os meus sonhos / chegou o momento de você sentir o que eu sinto”. Que frases poderosas, não? Se você não pegar o conceito de vingança, e pegar do lado dos bons sentimentos e da dor como sinal de compaixão, a lição vira outra, né? Eu gosto de sentir as duas coisas: a dor primeiro, depois o alívio de conseguir transformar isso pra uma forma de energia poderosa pra minha vida entrar numa engrenagem.

E eu posso atestar que fé e música são mesmo duas coisas que andam juntas, e são tão intrínsecas que não dá pra separar uma da outra, mas cada pessoa sente isso de um jeito. São as mais diferentes interpretações. E eu sinto a música como uma forma de código com algum plano superior, que me ajuda a superar problemas e começar sempre do zero, sem questionar muito e com um sorriso na cara. A última música que ouvi – ainda estou ouvindo – bate no esterno e ecoa dentro da gente. Melodia poderosa, letra absolutamente linda, uma poesia, pra mim é como se fosse pornografia musical de tão boa. A letra diz assim, na tradução: “calma, agora não está longe / logo você ouvirá o som do mar / calma, só mais alguns passos / e o mar vai te envolver / abaixo das ondas, muito mais abaixo / onde o mal não se atreve a ir / abaixo das ondas, muito mais abaixo / onde os anjos te encontrarão.” Mais e mais lições e convites para reflexão. E um grande incentivo.

E aí eu penso no meu encontro de hoje, e nas centenas de mensagens recebidas, e nas pessoas vindo na minha casa pra ficarem aqui comigo e me confortarem. É incrível como em uma situação, eu estou vivendo saudade e uma mágoa completamente sozinha e, na outra, estou absolutamente rodeada de boas vibrações mesmo com saudades e mágoa. Então eu me completo com esse carinho todo, esses abraços que senti que foram sinceros. Esse amor todo me faz tão bem. O mapa de Satanáries previu tudo isso, sabiam? Os assuntos inacabados, as perdas, os azares… Mas previu também um período de restabelecimento da felicidade. As mensagens das músicas, dentro do meu trabalho, no meu cotidiano, são minhas melhores amigas e terapeutas. Eu queria muito que todo mundo fosse capaz de sentir o que eu sinto ouvindo uma música. Tem músicas que eu ouço como se eu estivesse fazendo um sexo extremamente selvagem com amor. O sentimento é assim intenso, preenche a alma. A sua respiração muda e o corpo entorpece, te tira do corpo pra viver a melodia e as palavras. Procure ouvir uma música que você ama muito sob essa perspectiva, de fechar os olhos e imaginar a letra acontecendo, como um videoclipe mental da sua vida.

A sensação de pensar e sentir tudo com música é maravilhosa.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s