SONHOS SÃO UM CAPÍTULO À PARTE

Minha vida numa semana não seria nada se eu não tivesse um cabeção do tamanho do meu. Eu tenho intensa atividade cerebral noturna e isso é um sofrimento pra mim, queria ser uma pessoa diurna… E quando eu vou dormir na maioria das vezes, eu ainda tou mergulhada em algum tema… E os sonhos brotam quase que diariamente.

Meu pai – que por profissão é psicólogo – acredita que pessoas inteligentes são na verdade as noturnas e me deu até alguns exemplos históricos. Ele também acha que quem sonha durante a noite, se souber interpretar isso de forma a racionalizá-los para torná-los assim, planos executáveis práticos na sua vida.  E atingir mais objetivos com assiduidade. Curiosamente ou não, eu possuo um perfil do “quero, luto, consigo”. Acho que eu nunca desisti de um objetivo que eu desenhasse na mente e no coração. Talvez seja essa a minha diferença e que por isso eu vá sempre até o fim no que quero conquistar.

Eu tenho dois tipos de sonho: situações ou ambientes “impossíveis” que me propiciam um êxtase e uma sensação intensa de prazer ou; situações e ambientes do meu dia a dia que ficam bizarros em um nível alarmante.

Nos sonhos que começam normalmente e terminam de maneira bizarra, uns poucos viram pesadelos.  Por várias semanas, um tema recorrente é água. Água, na interpretação mística e psicológica, representa o caminho, seja um rio, mar, chuva, poços, poças, cachoeiras… Água possui sentido de vida, de caminhos, de ciclos. Psicologicamente, representa uma necessidade de renovação ou um medo de obstáculos nos objetivos – no caso de sonhos para se atravessar margens de rios. Misticamente,  o significado se repete.

No último sonho que eu tive, sonhei que eu estava ficando em uma casa à beira de uma piscina natural, e cuidava de um casal de bebês, de uns 2 anos de idade cada. Os homens me olhavam muito e eu não entendia o motivo. Eu subia em uma boia preta grande e, com as crianças, dava “voltas” nessa piscina, num espiral. E, no fim desse passeio, eu os levava comigo pra cama e cuidava deles a noite toda. De manhã, eles haviam sumido… E eu dividi uma boia com um homem muito alto, moreno, mas eu não via o rosto. E dava voltas com ele, até sermos sugados pelo fundo e acordarmos juntos, em uma cama, em cima de um penhasco.

Uau né? Ainda estou buscando interpretação pra isso.

Aliás, eu anoto meus sonhos. E devo postar mais aqui sobre o assunto.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s